15 de fevereiro de 2010

Espelho





Quem é esta que me observa do espelho?
Quem é esta que já não reconheço sendo eu?
Que é isto que vejo do outro lado?
Mais anos, menos sorrisos, mais danos, menos sonhos, novos caminhos.
Avisto gente nova do lado de lá.
Novos estranhos íntimos, invasores de um EU meu que se perdeu, donos de um EU meu que construí por pura necessidade de sobreviver.
Volto a observar aquela pessoa que parece ser EU, que parece independente de mim, pois pareço ouvi-la dizer tudo aquilo que não quero ouvir.



"Eu fica fora de Mim"

1 comentários:

Thales Estefani disse...

Oi Priscila!
Nossa...quanto tempo heim!
Eu sempre vou me desculpar pelos sumiços, dia após dia, mas é da minha natureza, espero q me perdoe. Não é descaso, é abarrotamento de tarefas :D
Em relação ao texto: ótimo. É exatamente o que muitos de nós sentimos. Somos diversos EUs durante diferentes etapas da vida. A cada passagem de tempo somos algo diferente. Às vezes acho que deveríamos dizer sempre que "estamos" alguma coisa, ao invés de "somos".
Algo como "estou egoísta, estou corajoso, estou inteligente..." auhauhauahuha
Beijos!

Postar um comentário

Metendo o bedelho onde foi chamado.